13 telefilmes em estreia na RTP

Depois de dois anos de trabalho intenso, a 11 de dezembro a partir das 22h30 estreia na RTP1 o primeiro de treze telefilmes produzidos para a televisão pública portuguesa.

Trezes” inspirado em 13 contos portugueses é a combinação perfeita entre os autores portugueses e o cinema. Este é um projecto inédito, resultante da parceria entre a televisão pública portuguesa e a Marginal Filmes, com coordenação do produtor e realizador José Carlos de Oliveira.

José Carlos de Oliveira o mentor do projecto

Os telefilmes são a adaptação de textos de vários autores portugueses, como “A Abóbada”, de Alexandre Herculano, “O Tesouro”, de Eça de Queiroz, a “Fronteira”, de Miguel Torga ou ainda “A Morte do Super-Homem”, de Rui Zink. O ‘Trezes’ é um conjunto de filmes que se dirige, sem distinções, a todos os públicos. Houve que selecionar contos que fossem não só transponíveis para cinema, como permitissem, na adaptação, uma arquitetura narrativa legível – mesmo que, nalguns casos, clivada – e uma estrutura dramática emocionante

disse José Carlos de Oliveira

Filmagens de “O Sítio da Mulher Morta”

Trezes” deu trabalho a duas centenas de pessoas, onde se incluem argumentistas, realizadores, produtores, realizadores, técnicos e actores, com a produção a ultrapassar os obstáculos causados pela pandemia conseguindo manter os planos de rodagem. As filmagens percorreram algumas das mais belas paisagens de Portugal.

Durante as filmagens de “A Abóboda”

Nas próximas semanas vai poder acompanhar na RTP1 a estreia de:

Fronteira – 11 Dez.
Miguel Torga, 1907-1995
Argumento escrito por Miguel Simal
Realização de João Cayatte, com Sisley Dias, Teresa Mello Sampayo, Carla Chambel, João Villas-Boas;

Filmagens de “Fronteira”.


O Rapaz do Tambor
– 18 Dez.
Fernando Namora, 1919-1989
Argumento de Pedro Marta Santos
Realização de Filipe Henriques, com Miguel Damião, Sandra Santos, Gonçalo Botelho, Duarte Grilo;

  Netflix: Exterminador em série de animação

As Cinzas da Mãe – 8 Jan.
Cristina Norton, 1948
Argumento escrito por Patrícia Muller
Realização de José Farinha, com Margarida Moreira, João Craveiro, Paula Mora, Paula Guedes;

Filmagens de “As Cinzas da Mãe”


A Morte do Super-Homem
– 15 Jan.

Rui Zink, 1961
Argumento escrito por Pedro Marta Santos
Realização de João Teixeira, com João Jesus, Susana Arrais, Afonso Lagarto, Sara Norte;

O Tesouro – 22 Jan.
Eça de Queiroz, 1845-1900
Argumento escrito por Pedro Marta Santos
Realização de Carlos Coelho da Silva, com Rui Luís Brás, Ivo Alexandre, José Condessa, Carolina Amaral, Carla Salgueiro.

A Abóbada
Alexandre Herculano, 1810-1877
Argumento escrito por Pedro Marta Santos, realização de Cláudia Clemente
Com Maya Both, João Catarré, Filipe Vargas, João Didelet

Filmagens de “A Abóboda”

O Sítio da Mulher Morta
Manuel Teixeira-Gomes, 1860-1941
Argumento escrito por Patrícia Muller e realização de José Carlos de Oliveira
Com José Fidalgo, Pedro Lacerda, Beatriz Godinho, José Neto e Helder Agapito

Um Jantar muito Original
Fernando Pessoa, 1888-1935 – por Alexander Search
Argumento escrito por Miguel Simal, realizado por Leandro Ferreira

O Ódio das Vilas 
Manuel da Fonseca, 1911-1993
Argumento de Miguel Simal, Realização de António da Cunha Telles

A Pereira da Tia Miséria
Conto popular português de 1920
Argumento escrito por Patrícia Muller e realização de Marie Brand
Com Bárbara Branco, Elmano Sancho, Heitor Lourenço, Elsa Valentim, Lourenço de Almeida

O Lavagante
José Cardoso Pires, 1925-1998
Argumento de Pedro Marta Santos, realização de António-Pedro Vasconcelos

Uma Vida Toda Empatada
Mário de Carvalho, 1944
Argumento escrito por Miguel Simal e Leandro Ferreira, realizado por Tiago P. de Carvalho
Com António Pedro Cerdeira, Gonçalo Diniz, Maria João Pinho, Maria Arrais, Rodrigo Tomás

Miss Beijo
Lídia Jorge, 1946
Argumento de Patrícia Muller e realização de Miguel Simal
Com Beatriz Frazão, João Pedro Dantas, Maria Simões, Aldo Lima, Beatriz Monteiro

Ricardo Lopes

Começou a caminhar nos alicerces de uma sala de cinema, cresceu entre cartazes de filmes e película. E o trabalho no meio audiovisual aconteceu naturalmente, estando presente desde a pré-produção até à exibição.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *