Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Crítica BD: Alix Senator Vol. 4 – Os Demónios de Esparta

Alix Senator está de volta com o quarto volume “Os Demónios de Esparta”. Leiam aqui a análise completa.Alix Senator Vol. 4 - Os Demónios de Esparta

A edição da Gradiva mantém-se em excelente qualidade: capa dura, bom papel, boa encadernação e boa impressão. No quarto volume há o acrescento de um prefácio da autoria de Numa Sadoul, uma figura que privou com Jacques Martin e em quem uma das personagens deste quarto livro se baseia visualmente.

A história desta nova entrada conta-nos que o enviado romano encarregado de trazer os livros sibilinos da Grécia é brutalmente assassinado e tudo parece apontar para os desapiedados guerreiros de Esparta. Mas o que há de tão especial nesses misteriosos livros, que levam a que Alix tenha que pegar em armas e ajudar a comandar exércitos num volume dos mais sanguinários, até agora?

Neste caso, a trama não está tão bem articulada em si mesma e são várias as pontas soltas que a BD deixa no ar. 

O rigor histórico, a reconstrução do período e a capacidade de apaixonar o leitor pela época mantêm-se, bem como o marcado espírito de aventura. A partilha de protagonismo entre Alix, o seu filho, Tito. e Khephren (filho de Enak) revisita as memórias da amizade entre Alix e Enak. Mas, com um twist, o quase ódio que Khephren jura a Alix e a Enak continua a crescer e este é um dos pontos mais interessantes dos argumentos de Valèrie Mangin, pela colocação do principal inimigo no seio familiar do protagonista. Visualmente, os quadros cinematográficos da BD contribuem ainda mais para este espirito de incerteza. 

Infelizmente, neste caso, ter este inimigo por perto não é benéfico, uma vez que está fora de suspeitas e que melhor se esconde para espiar.

A ambição de poder cala integridades e todos podem sofrer desta condição – é uma doença interminável e quando um Império como Roma a alimenta, torna-se imparável.

Valerie Mangin, é latinista e historiadora. Combinando Antiguidade e Ficção Científica, escreve as séries “O Flagelo dos Deuses”, em 2003, em 2012, lançou “Alix Senator”.

Thierry Démarez, um apaixonado pelo desenho e pela pintura, aprofundou a sua formação artística e tornou-se cenógrafo da companhia de teatro da Comédie Française. Desenhou o seu primeiro álbum em 2002. Em 2012, inicia a série “Alix Senator”.

Autores: Valerie Mangin
Ilustração: Thierry Démarez
Género: 
Banda desenhada, História
Editora: 
Gradiva                                                                    

Argumento: 7
Arte: 8
Legendagem: 6
Veredito final: 7

alix 4 wook

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *