Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Análise BD – “Eye” de Dave Mckean – Eu, Tu, Ele, Nós, Vós, Eles

A banda desenhada “Eye” de Dave Mckean não merece ser comentada, ou melhor, não tem de ser. Como livro de ilustrações minimalistas que é, uma página em branco bastaria para mostrar exatamente que esta obra não se agarra a nada, olha para quem a vê e aceita.

O leitor transforma-se numa espécie de narrador, o gerente da poção mágica que gere esta história de imagens, o único critério de comando é a imaginação.

Dizer que esta BD é silenciosa, é crucificá-la, porque a mesma apresenta e decompõe um emaranhado de ideias presentes no nosso consciente e inconsciente, e reflete-nos nas figuras de cada página, podemos ser a ave que salva ou sacrifica, o homem que voa ou cai, a mulher que chora ou se alivia, podemos ser todos eles em simultâneo. Já tivemos estados semelhantes aos seus, já tivemos vontades que não ousamos pronunciar – ora “Eye” é isso mesmo, a representação das nossas cartas rejeitadas, fidedigno aos nossos desejos e impulsos.

O plot não é convencional, está, de facto, em rutura com a maioria, contudo essa atitude diversa é o guia deste puzzle, que apesar de perdido e misturado, pressente-se que foi muito pensado e debatido. Temas como transcendência, ego e género, nunca podem ser tratados de ânimo leve.

Os grafismos circulam entre uma linha grossa e fina, com o preto e o branco – um filme mudo dos antigos. A imagética vai evoluindo para um realismo forte até se render quase ao retrato, à fotografia que foi captada e que agora permanece congelada.

Entramos na ordem do simbólico, na ordem da psique humana, será possível um desafio maior do que esse? O corpo e as posturas são evidentes preocupações, são instrumentos com vícios, com memórias, e arrepiam sem exclamar.

Ao perder as palavras, a ligação entre a arte e a história vai muito mais longe! As dúvidas e os esclarecimentos interiores encontram-se e, inevitavelmente carregam-se até aquela margem, aquela noção inabalável que para ser feliz é preciso muito pouco. Que bonito é acharmos a nossa vida no desenho de alguém!

Dave McKean, é um artista reconhecido internacionalmente, por trabalhos como “The Savage”, “Coraline” e “The Wolves in the Wall”, etc. Vive atualmente em Inglaterra, onde se dedica também a ilustrar capas de álbuns das mais variadas bandas.

Autor: Dave Mckean
Ilustração: Dave Mckean
Género: Banda Desenhada, Thriller
Editora: VitaminaBD
Argumento: 10
Arte: 8
Veredito final: 9

Esta obra foi cedida simpaticamente pela Mbooks – a maior armazenista de livros em saldo em Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *