Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Análise BD: D.A.D. – Desempregado, Artista, Dona de Casa

É pelas mãos e ideias de Alexandre Esgaio que ficamos a conhecer uma família, disfuncional, hilariante, e ainda mais ternurenta. Nesta novela gráfica o autor reflete muitos dos momentos embaraçosos e fora de caixa que um pai vivencia enquanto cria, neste caso, as suas duas filhas.

“D.A.D.”, é um livro acerca de responsabilidades, como o título já sublinha, porém, a narrativa surpreende ao virar do avesso essas formalidades da rotina, e concluir que, afinal, o stress deve ser aproveitado para criar memórias e rir nos momentos mais insólitos.

De leitura fácil, esta obra, tem desenhos simples, com pouca cor, mas expressivos, e com a devida atenção aos detalhes. Revela, assim, um traço honesto, infantil e inocente, essencial para o bom percurso da história.

Por vezes, temos uma folha inteira com apenas uma ilustração, ou um conto maior espalhado por mais páginas – Proporcionado, deste modo, uma diversidade original e mais interativa.

É de igual forma, bem pensado, os adereços coloridos de cada personagem, entre a camisola de riscas vermelhas e brancas do pai, e as botas amarelas da filha mais velha – o leitor obtém pontos de referência relativos à personalidade e estilo de cada figura do enredo.

Já na legendagem, houve alguns preenchimentos desnecessários da folha, o que causou menos clareza e fluidez na BD.

O que vem, igualmente, trair a harmonia da trama é a concentração de piadas no mesmo tópico, é óbvio para o leitor que o objeto central de “D.A.D.” é, exatamente, a paternidade, mas outras surpresas eram esperadas. O leitor acaba por ficar encurralado no mesmo tema… em vez disso, Alexandre Esgaio, deveria ter circulado mais pelos argumentos secundários, para que o assunto se transformasse em algo mais denso e ainda mais tocante do ponto de vista emocional e estético.

Apesar destes setbacks, “D.A.D.”, não deixa de evoluir, e tornar-se num recetáculo comum para muitos pais e mães, transportando acima de tudo uma verdade fundamental, de que, as raízes são preciosas.

Poderão conhecer Alexandre Esgaio, de ilustrações para teatro e outras publicações, como também do seu blogue Maria Macaréu, onde nos fala de Rock, de amor e de muitas ondas.

Autor: Alexandre Esgaio
Ilustração: Alexandre Esgaio
Género: Novela Gráfica, Banda Desenhada, Comédia
Editora: Suma de Letras
Argumento: 6
Arte: 7
Legendagem: 6
Veredito final: 6

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *