Já são conhecidos os vencedores do XV Troféus Central Comics!

Apresentamos os resultados do XV Troféus Central Comics! Neste ano atípico, os prémios sofreram um atraso e decorreram sem filiação a evento da área, passando a cerimónia de revelação para o canal oficial no Youtube.

Outra alteração foi o ajuste do novo leque de categorias – em 2016, experimentalmente designadas como Troféus Central Comics Extra, de votação exclusiva pelo público, sem pré-determinação por parte de um júri – que, perante a mudança aplicada transversalmente ao evento, passaram a integrar o grupo principal de categorias, definidas somente pelos leitores.

Sem mais demora, eis as melhores obras e autores publicados durante 2016:

vampiros de filipe melo e juan caviaO grande vencedor foi multi-galardoado FILIPE MELO, que venceu as categorias Melhor Argumento – esta, obtendo maioria absoluta – e Melhor Publicação Nacional, pelo álbum OS VAMPIROS (Tinta-da-China). O prémio Melhor Desenho foi atribuído a PENIM LOUREIRO, pelo álbum Reportagem Especial: Adaptação às alterações climáticas em Portugal (ClimAdaPT.Local), uma obra com argumento de Bruno Pinto e cores de Quico Nogueira, que foi lançado em formato de livro e e-book.

Relativamente a obras estrangeiras, estão de parabéns os vizinhos ibéricos, sendo distinguido, como Melhor Publicação Estrangeira, o álbum A CASA, de Paco Roca, e como Melhor Desenho Estrangeiro, o veterano MIGUELANXO PRADO, pelo álbum Presas Fáceis, ambos integrados na colecção Novelas Gráficas II (Levoir). Na categoria Melhor Argumento Estrangeiro venceu o escritor Norte-Americano BRIAN K. VAUGHAN pela série-fenómeno Saga.

watchmenNa disputada categoria Melhor Publicação Clássica venceu, sem grande surpresa, WATCHMEN (Levoir), de Alan Moore e Dave Gibbons, e também outro clássico venceu como Melhor Publicação Periódica, a revista TEX (Mythos). Mas os “clássicos” não pararam aqui, vencendo ainda SANDMAN: MESTRE DOS SONHOS (Levoir) na categoria Melhor Série/Colecção, elevando assim a editora Levoir a quatro prémios alcançados.

Os autores nacionais estiveram em destaque nas categorias Melhor Publicação Independente e Melhor Publicação Humor, que distinguiram, respectivamente, JUDEA (Pianola Editores), por Diniz Conefrey, e A DEMANDA DO G (Polvo), de Geral & Derradé.

Na categoria Melhor Obra Curta, que continua a celebrar a arte de narrar histórias breves – opção editorial que continua a ser a principal forma de publicar talento nacional no mercado – vence “BLAHNIK,” por Pedro Moura (argumento) e André Coelho (desenho), no fanzine Quireward #2 (Montesinos).

Jorge Coelho (The Haunted Mansion)Já além-fronteiras, em mais férteis mercados, a nova categoria Melhor Autor em Publicação Estrangeira distingue o autor JORGE COELHO (Haunted Mansion), por coincidência também autor do postér do TCC.

Por último, no audiovisual, dominaram os heróis gritty: na categoria Melhor Videojogo vence BATMAN: RETURN TO ARKHAM (Warner Games), em Melhor Série Televisiva ganhou DAREDEVIL T02 (Netflix), e em Melhor Filme de BD, sem margem para debate, foi distinguido DEADPOOL (20th Century Fox).

A votação desta edição, realizada integralmente pelo público leitor via sistema online, reuniu 565 votos.

O Troféus Central Comics regressa muito em breve, para dar aos leitores e fãs a oportunidade de salientar quais os melhores de 2017!

Para ver todas as percentagens e posições do pódio em todas as categorias, vejam o vídeo do directo:

XV Trofeus Central Comics

Póster, por Jorge Coelho