Os Diários da Princesa, de Carrie Fisher (Divertido, hilariante e memorável)

Divertido, hilariante e memorável, Os Diários da Princesa de Carrie Fisher, proporcionam uma visão perspicaz do tipo de estrelato que poucos alguma vez viverão.

Quando Carrie Fisher descobriu os diários que manteve durante as filmagens do primeiro Star Wars, ficou surpreendida com o que encontrou: poemas lamurientos, meditações ingénuas, e uma vulnerabilidade que mal conseguiu reconhecer. Hoje, a sua fama enquanto autora, atriz e ícone da cultura pop é indiscutível, mas, em 1977, Carrie era uma adolescente com uma paixão pelo seu coprotagonista, Harrison Ford.

Os Diarios da Princesa carrie fisher

Os excertos partilhados em Os Diários da Princesa são uma lembrança íntima e reveladora do que aconteceu no set de um dos mais famosos filmes de sempre — e o que se passou nos bastidores. É também uma reflexão sobre as alegrias e a loucura da celebridade, e o absurdo de uma vida nascida na realeza de Hollywood, ultrapassada pela sua própria realeza uma galáxia distante.

«Passei tantos anos a não contar que eu e o Harrison tivemos um caso durante o primeiro filme Star Wars, que é difícil saber exatamente como contá‑lo agora.»

Os Diários da Princesa

Os Diários da Princesa
Carrie Fisher
(prosa)
Ed. Vogais
272 pp | 18,79€
Compra aqui com 10% de desconto e portes grátis

Photo Harrison Ford conversa com Carrie Fisher durante uma pausa nas filmagens - Cortesia AP Photo George Brich

EXCERTOS:

«Eu gostava de ser a Princesa Leia. Ou de que a Princesa Leia fosse eu. Com o tempo, achei que nos fundíramos numa só. Acho que ninguém pode pensar na Leia sem eu estar latente algures. E não me refiro a masturbação. Portanto, a Princesa Leia somos nós.»

«Se eu andasse no liceu em vez de a fazer espetáculos com a minha mãe, teria tido acesso aos locais mais adequados ao aparecimento das minhas emoções de adolescente. Teria vivido uma vida de adolescente. Mas dado não estar a desfrutar dessa vida, passava a vida apaixonada por homens gays. Além do Lynn, também houve o Albert, bailarino no show da Broadway Irene, com a Debbie. Era atraente e gay (apesar de, na minha opinião pouco informada, não se perceber) e costumávamos curtir nos camarins. A minha mãe estava ao corrente, por isso, que merda era aquela? Eu só tinha 15 anos e era um fruto apetecido, mas ilegal. A minha mãe disse:

— Se vais fazer sexo com o Albert, se quiseres eu posso assistir e dar indicações. Para ser justa, nessa altura a minha mãe andava mesmo de cabeça perdida. Toda a vida dela se desmoronava, por isso ela tentava escora‑la providenciando algum amor de mãe aberto e/ou excêntrico.»

SOBRE A CARRIE FISHER

Carrie Fisher foi atriz, escritora e humorista. De nacionalidade americana, foi famosa desde o seu nascimento, em 1956, fruto da celebridade dos pais, Debbie Reynolds e Eddie Fisher. Tornou-se um ícone de impacto mundial ao interpretar a Princesa Leia na série Star Wars, papel que a havia de acompanhar ao longo de toda a vida e carreira, e que levaria a Disney a atribuir-lhe o título de Disney Legend postumamente, em 2017.

Combateu, ao longo da vida, o distúrbio bipolar que lhe foi diagnosticado, e tornou-se uma das vozes públicas mais importantes a advogar pela causa das doenças mentais. Faleceu, de ataque cardíaco, em dezembro de 2016.

Fonte: Vogais


As Novas revistas Marvel da Goody sob análise!