Crítica: Cinema – “3 Gerações”, de Gaby Dellal

“3 Gerações” é um filme de Gaby Dellal que mexe um pouco com a forma como vemos o tema da transexualidade, a identidade de género e a orientação sexual.

3 Gerações

3 Gerações” conta a história de Ray (Elle Fanning) um rapaz adolescente transsexual a viver em Nova Iorque com a mãe solteira Maggie (Naomi Watts), a avó lésbica Dolly (Susan Sarandon) e a namorada da avó Frances (Linda Emond). Ray, que nasceu com o nome de Ramona, desde sempre que soube o que queria, a mudança de sexo. Sempre com o apoio incondicional da mãe, Ray vê-se com dificuldade na aceitação do pai, visto que ele precisa de assinar o formulário do processo de transição FtM (Female to Male). Apesar da avó a apoiar em tudo, Dolly continua sem entender nem aceitar a mudança.

Este é um filme que aborda vários temas focando-se em primeiro plano na transexualidade, identidade de género e orientação sexual. Inicialmente o filme tinha como título “About Ray“, visto que era maioritariamente focado no

3 Gerações

ponto de vista de Ray, a personagem principal, e a razão de se ter mudado de título deve-se ao facto de se focar mais sobre a dificuldade e receio da família, assim como sobre a confusão entre os conceitos de orientação sexual e identidade de género.

Ao avançar na narrativa, descobrimos um passado “enterrado” na família. Tem um tom dramático e humorístico conseguindo então com que seja um filme dramático, com informação, e também ligeiro por parte do tom humorístico, conseguindo então com que pessoas que tenham esta questão sobre a identidade de género, ou mesmo orientação sexual, se consigam identificar com as personagens.

Classificação: 8/10