Obra de Taniguchi reeditada 12 anos depois, mas com material inédito!

“O homem que passeia” de Jiro Taniguchi é reeditado, este mês, pelas Edições Devir, de novo em capa mole, mas com mais 100 páginas, nova tradução, capa e legendagem. A partir de 24 de Junho na Festa do Japão.

Nestas páginas com um estilo introspectivo e intimista, Jiro Taniguchi dá-nos a conhecer O homem que passeia, através das suas deambulações, frequentemente mudas e solitárias, através da cidade onde reside.
Uma história que se distancia dos estereótipos habituais do mangá, onde se sucedem pequenas histórias sem diálogo, encontros ocasionais, o prazer da contemplação e de andar sem destino.

Um homem contempla os subúrbios da sua cidade. Caminhando devagar, escuta e cheira. Para e observa.
É impossível não nos sentirmos alheios e indiferentes ao mundo, em contraste com este olhar puro. Passeando por estas páginas reaprendemos a olhar, talvez a viver, mais atentos às pequenas coisas.

"O homem que passeia" de Jiro Taniguchi "O homem que passeia" de Jiro Taniguchi
"O homem que passeia" de Jiro Taniguchi "O homem que passeia" de Jiro Taniguchi "O homem que passeia" de Jiro Taniguchi

O Homem que Passeia
Jiro Taniguchi
Edições Devir
244 páginas a preto
Formato: 170×240 mm
PREÇO: €19,99 PVR

O AUTOR
(1947-2017) Publica a sua primeira obra no início da década de 1970. A descoberta da banda desenhada europeia, marca uma viragem na obra de Taniguchi,que opta por trabalhar sozinho, escrevendo e desenhando as suas próprias histórias. A partir de 1991, a sua obra assenta na sua experiência pessoal e na atenta observação, profundamente humana, dos seus semelhantes e do seu quotidiano.

A obra de Taniguchi espelha sentimentos positivos, um reconhecimento sincero pelas tradições culturais, uma forte ligação à família e o regresso à infância como forma de redescobrir as suas origens.
Principais distinções
1992: Prémio do Mangá Shogakukan.
1993: Prémio da Associação de Mangaka Japoneses.
1998: Prémio cultural Osamu Tezuka.

Fonte: Devir