BD: Crítica – Karnak #2 (Marvel Comics)

karnak #2Possivelmente um dos títulos mais inesperados da nova linha da Marvel, Karnak demarcou-se na expectativa dos leitores não tanto por ser uma personagem com bastantes fãs (visto que, mesmo numa franchise até há pouco secundária como os Inumanos, ele era uma personagem de segundo plano) mas por ter o nome de Warren Ellis nos créditos enquanto argumentista. O escritor britânico parece voltar a querer repetir a magia que efectuou no título Moon Knight há um par de anos, mas agora com o desafio acrescido de retratar a imoralidade (in)humana dos poderes únicos de Karnak (claro que também os meses de atraso não ajudam à missa, já que o número de estreia saiu há quase 4 meses).

E realmente, são estes os poderes que tomam o foco nesta nova série (ao invés da trama principal, que se vai desenrolando sem grandes pressas). Se no número inicial tais habilidades de Karnak são vistas de uma perspectiva mais cerebral, neste segundo número o leitor descobre que as mesmas também têm um vasto potencial para a acção física. De facto, após um breve vislumbre sobre a infância (e “origem” das habilidades) do protagonista, a primeira metade deste fascículo revela-se essencialmente uma extensa sequência de luta, onde o diálogo se ausenta por completo, dando o seu lugar a um dinamismo energético que é raro encontrar em qualquer comic norte-americano… (O que por sua vez até se revela irónico, visto que a arte esteve a cargo de um argentino e um italiano.)

E após essa cena de luta (uma das melhores deste ano, ultrapassando inclusive qualquer exemplo cinematográfico ou televisivo), Ellis volta a reclamar a ribalta, com uma escrita tão cinética como a arte que a acompanha. Nesta segunda metade do comic, que se resume a uma cena de interrogatório saída de um excelente thriller, Karnak mostra a sua verdadeira face, completamente dissonante de qualquer herói (ou mesmo anti-herói) do universo Marvel. E eis então o génio do argumentista, que com esta personagem consegue criar uma voz verdadeiramente única, que (como se o exímio grafismo visual não bastasse) torna Karnak num título verdadeiramente único no vasto catálogo da editora. Apesar de não avançar muito com a trama global (e é só por isso que não recebe uma pontuação total), estamos perante um comic perfeito que certamente valeu os meses de espera.

karnak2_interior

Karnak #2 (Marvel Comics)
De Warren Ellis (A), Gerardo Zaffino e Antonio Fuso (D)
Crítica de Pedro Nora
Classificação: 9/10