Cinema: Crítica – O Amigo do Peito

Amigo do peito - poster portugalO filme estreia esta semana, mas nós já fomos ver para contar como é. Rui Mendonça diz o que achou, já a seguir.

Doug, um homem pouco sociável, com difuldade em arranjar verdadeiros amigos, a duas semanas do seu casamento apercebe-se que não tem um padrinho, decide contrar Jimmy dono de uma empresa que fornece padrinhos a pessoas com esta necessidade.

Jimmy deixa claro que a sua relação é estritamente profissional mas no desenrolar do filme isto começa a tornar-se cada vez menos válido.

O filme parte numa uma enorme hilariante aventura que é toda a preparação para que nada falhe no dia da cerimónia.

O Amigo do peito (ou ‘The Wedding Ringer’ em inglês) é o tipico filme de comédia que trás algumas boas gargalhadas, um tempo bem passado mas pouco mais do que isso…

As piadas são previsiveis e de certa forma esporádicas mas ainda assim eficientes graças à excelente sinergia entre Kevin Hart e Josh Gad que com uma excelente actuação transformam cenas que normalmente não seriam nada de especial em momentos de facto hilariantes que facilmente animam qualquer pessoa.

Este filme de comédia pode-se descrever como um bromance entre Jimmy e Doug com algumas gargalhadas e sorrisos pelo meio, não é o filme que vão emoldurar e fazer uma vénia todos os dias antes de irem dormir mas ainda assim é um filme divertido e bem produzido.

Não trás nada de novo ao cinema, é o tipico filme de comédia que já foi visto e revisto, a história é pouco apelativa e as piadas usadas, ainda assim graças ao seu elenco não se torna um mau filme.

Não é o tipo de filme em que vos digo “Não vão ver”, é o tipo de filme que digo: se vão ver, apenas não esperem sair de lá com os pulmões de fora e um cartaz para emoldurar em casa e devem sair bem dispostos.

stars

 

Rui Mendonça