Jogos: Crítica – Smash it! Adventure

smash_it_adventures1O jogo que vos vou falar hoje é novamente duma empresa tuga, Bica Studios, chama-se Smash It! Adventures e está disponível na Google Play e App Store.

É um jogo ‘’clicker’’ onde temos controlo duma bruxa que tem de impedir que os Blarghinis comam os animais e temos de salvar os que já foram comidos, através do click nos monstros, com alguns poderes à mistura.

 Graficos: O jogo é extremamente colorido e com um visual atractivo ainda que pouco variado. Os inimigos vão mudando a aparência conforme a sua força mas acabam por se repetir demasiado cedo. As ilustrações dos níveis são só um pano de fundo pois mesmo com algum detalhe, são estáticas e repetem-se demasiadas vezes. Outro problema para mim foi o Hub. O mundo onde escolhemos o nível a jogar é desinspirado, demasiado simplista. Uma ilha demasiado estática rodiada dum fundo azul (água!?) e onde a aparência não está em conformidade com o estilo gráfico do jogo. Um problema é também o ménu. Não é intuitivo ou atractivo e para um jogo tão colorido, poderia ter outro tipo de animações ou apresentação.
Mas também encontrei pormenores interessantes. Por exemplo a cutscene apresentada no primeiro nível está engraçada e gostava que se repetissem mais ao longo do jogo. Dá algum sentido à aventura e torna o jogo mais completo e bonito. Screenshot_5O pequeno pormenor de quando passamos um nível com 3 estrelas um pequeno animal animado aparece em cima do respectivo nível. Gostei também das animações dos poderes que são visualmente atractivas e transmitem bem a força que dão à personagem.

Jogabilidade: Parece-me relevante mencionar que este jogo foi jogado num smartphone (Galaxy SIII) e toda a minha experiência baseai-se nisso. O jogo consiste em clicar nos blarghinis conforme eles se vão aproximando, e evitar carregar neles se eles abrirem a boca ou então cobrem o ecrã parcial ou totalmente (conforme o blarghini) e impedem-nos de eliminar os outros que se aproximam. Caso cheguem, a personagem começam a cobri-lo e se chegarem a um certo limite sofremos um game over (com hipótese de pagar 1 diamante, currency paga com dinheiro real, para ser salvo). Podemos limpar a personagem com um swipe. Para nos ajudar a ultrapassar a manada de blarghinis que nos atacam sem descanso nos níveis temos também poderes que se activam com um clique, que vão desde ataques mais poderosos até a deixarem-nos atacar as criaturas mesmo quando têm a boca aberta. E no meio destes problemas um muito evidente é o facto dos poderes não serem relevantes o suficiente. Eu joguei até ao nível 20 e durante esta experiência nunca senti necessidade de activar os poderes (e se activei foi por estarem a acumular devido aos prémios diários).
smash-it-3As mecânicas são simples mas sofrem de problemas que para mim me impediram de desfrutar do jogo. Dado o tamanho do ecrã, demasiadas vezes cliquei num blarghini de boca fechada mas que por estar em cima de outro de boca aberta, me encheu o ecrã. Suponho que num tablet, dado o maior espaço para clicar, não é um problema. Em níveis em que os blarghinis são imensos acaba também por ser um sapateado de dedos no ecrã e rezar para que nenhum abra a boca a tempo.

Durabilidade: Cada nível tem a duração média de 1:30 minutos e o jogo, para já, contém um modo aventura com 30 níveis (e 90 estrelas para coleccionar) e um modo competição. Temos achievements e missões que ajudam a dar alguma longevidade ao jogo.

Audio: O jogo é simples em termos de audio. Temos uma música que se repete no menú e hub, temos música para os níveis e depois temos os sons da bruxinha a disparar contra os blarghinis e estes a sofrerem dano. Todos os sons enquadram-se bem no jogo ainda que sejam repetitivos.

Screenshot_4Geral: É um jogo simples, que assenta na repetição. Em mim, nunca teve o efeito de vício que este tipo de pequenos jogos costumam/devem ter. Passava dois níveis e encostava o jogo, dado que toda a jogabilidade é demasiado repetitiva sem nenhum twist que seja refrescante para o jogador. Talvez com algumas mudanças na jogabilidade, tornar os poderem mais relevantes, fazer um mundo mais colorido e divertido, acrescentar umas cutscenes na mudança de área, este jogo se torne melhor.

Veredicto: É um jogo diferente no universo de clones do bejewled ou cardgames, mas que comparado a estes falha no factor de vício ou jogabilidade precisa, não chegando a ser memorável.
Por ser tuga e ter algumas qualidades eu digo que não custa experimentar e deixarem a vossa opinião na página da aplicação. Ajudam os devs a melhorar e apoiam a indústria dos videojogos no país.

Hugo Santos