BD: Críticas: Passei D’Ano, Visita de Estudo e O Legado

O primeiro álbum da série ‘A Minha Escolinha’, de Pedro Correia, já tinha sido aqui revisto em Dezembro de de 2012. Agora, de uma assentada só deixamos aqui uma crítica ligeira as 3 sequelas “Passei d’Ano”, “Visita de Estudo” e “O Legado”.

Minha Escolinha: Passei D'anoEm “Passei d’Ano”, encontramos-nos no ano lectivo seguinte ao primeiro álbum. As coisas parecem ter acalmado se bem que não por muito tempo… Enquanto alguns alunos ainda planeiam esquemas a fim de se tornarem populares, um inimigo do passado junta um arsenal e tropas com o intuito de atacar a escola. A acção intensifica-se a níveis extremos e dando mais pormenores estragaria a surpresa, mas avisamos que há um tanque a entrar escola a dentro.
Aqui a diferença mais notória é o formato e encadernação. O livro deixou de ser editado pela Chiado Editora, passando agora a ser edição de autor. Por isso deixou de ter uma encadernação offset para passar para uma digital de mais baixa qualidade.
Mas enquanto se perde na qualidade do livro como objecto, houve claramente melhorias no desenho em geral e nas cores em particular. Enquanto no primeiro livro a planificação e abordagem por vezes caía na monotonia, agora os planos já despertam um pouco mais a atenção.

a0Em “Visita de Estudo” a vida na escola continua e é dia de… visita de estudo. Tudo decorre com normalidade até que um azar leva a outro e os alunos (o elenco principal i.e.) se separam da camioneta ficando assim perdidos na floresta. Passam noites emocionantes enquanto decorrem as buscas para o seu salvamento.
Na crítica ao primeiro livro fiz um reparo quanto à legendagem. Pelos vistos o autor esteva atento e fez por melhorar a partir daqui. Mudou o formato dos balões e também de fonte. Consegue estar bem melhor mesmo assim, continua longe daquilo que acho minimamente aceitável! Ainda há muito trabalho pela frente, Pedro! No entanto, para mim, este é o melhor álbum da série. Pedro Correia não quis complicar e desenvolveu um argumento mais simples que contribuiu para uma história mais fluída, menos complexa e mais focada nas personagens. A expressão “menos é mais” encaixa aqui que nem uma luva.

A Minha Escolinha - o legadoFinalmente em “O Legado”, Gongas tem um encontro com uma amiga que conhece numa visita de estudo. Teria sido este um grande dia para ele não fosse este ser também o dia em que o vilão decide atacar! Num novo cenário de destruição, Gongas descobre toda a verdade sobre o passado da sua família, uma história que envolve toda a gente com quem ele privou na sua vida. Com os nervos à flor da pele e vontade de retribuir ao vilão, Luís Miguel, na mesma moeda, Gongas reúne os seus amigos e seguem em direcção ao inimigo!
Tudo aquilo que falei do volume anterior, aqui não faz mais sentido. O argumento voltou a complexar-se com muita confusão e plot twists pelo meio. Em toda a série sente-se a influência da manga e em particular do Dragon Ball, mas neste tomo, quando vemos a personagem André, automaticamente vem-nos à cabeça o Astro Boy.

Questionado sobre o futuro e sucesso do projecto, Pedro Correia conta que irá continuar a BD em web-comics. Disse ainda que para um projecto que começou há um ano, foram muitas as surpresas que excederam a sua expectativa.

Apesar de amadora e os defeitos que poderá ter, a série tem evoluído positivamente e é uma leitura que garante pelo menos alguns sorrisos!

Fica aqui o facebook para quem quiser ver mais: www.facebook.com/AMinhaEscolinha

Classificação: 6.5/10

Hugo Jesus