BD: Crónica – BLACK WIDOW e o assalto á carteira dos leitores!

A New York Comic Con terminou e foram vários os anúncios de novos lançamentos que deixaram os fãs de comics americanos muito excitados. Uma dessas novidades, foi a ongoing BLACK WIDOW escrita por NATHAN EDMONDSON e desenhada por PHIL NOTO.

Vou simplificar a minha opinião com a seguinte fórmula:

BLACK WIDOW + NATHAN EDMONDSON + PHIL NOTO = MINE!! My Precious.

BLACK WIDOW #1 Cover

Capa do BLACK WIDOW #1

BLACK WIDOW #2 Cover

Capa do BLACK WIDOW #2

Acho que não me engano muito se disser que Independentemente de anteriores runs da Viúva Negra aquilo que temos fresco na memória é o filme The Avengers onde esta personagem é interpretada por Scarlett Johansson. Desde então que todos sentimos a necessidade de ver mais histórias com esta personagem…. juro que só me estou a referir à personagem! 🙂

NATHAN EDMONDSON tem andado muito ocupado com Who Is Jake Ellis? (e a sua sequela), The Activity e The Dream Merchant, por isso sabemos que este seu novo trabalho terá acção quanto baste. Acaba por ser uma escolha óbvia, tendo em conta o tipo de histórias envolvendo serviços secretos e forças armadas que NATHAN EDMONDSON tem vindo a escrever.

Mas o que realmente excita qualquer fã de comics é a participação de PHIL NOTO.

PHIL NOTO tal como Jock, e Francavilla é um Artista (letra maiúscula). E dizer isto não é menosprezar desenhadores mais conhecidos ou trabalham em revistas de maior tiragem.

Jock

Capar desenhada por Jock

Francesco Francavilla

Capar desenhada por Francesco Francavilla

O que estou a dizer e que NOTO tem uma técnica singular que o destinge de todos os outros e que seduz os olhos de qualquer leitor. Tal como os outros artistas mencionados, os trabalhos de PHIL NOTO são espaçados e pouco frequentes, o que torna os seus trabalhos ainda mais desejados.

Somando todos os factores este BLACK WIDOW tem tudo para ser uma excelente revista e uma compra mais do que certa….. só temos que esquecer o facto de as duas primeiras revistas serem lançadas no mesmo mês e de ambas custarem 3.99USD…. Se conseguirmos ignorar estes 2 detalhes certamente que vamos assinar esta revista desde o número 1.

Só são 7.98EUR por mês por 64 páginas!

O Lobo Mau

tumblr_mml59kk56G1qhyhwto1_500Agora mais a sério e sem sarcasmo: a estratégia da Marvel para esta nova série parece mais focada nos dólares do que nos seus clientes.

A editora Norte Americana podia facilmente ter seguido a mesma estratégia que escolheu para as revistas Daredevil e Hawkeye cujos preços são de 2.99USD, com lançamentos mensais, crossovers ocasionais e uma equipa criativa regular que dá outra segurança ao leitor que segue as personagens destas séries.

Apesar deste novo título da Marvel estar recheado de sinais positivos que levam qualquer fã de Comics a desejar comprá-lo é necessário salientar que também existem vários aspectos pouco encorajadores.

O número de páginas destas revistas (32 páginas cada) e a regularidade Bi-mensal indica-nos que provavelmente PHIL NOTO não será o artista desta revista durante muito tempo e em princípio irá desenhar apenas o primeiro arco.

Já abordei o tema da mudança de artista quando escrevi a crónica do Conan O Bárbaro (ver aqui). Acredito que o primeiro artista define a revista e tem um enorme impacto na avaliação que fazemos de uma série e lança uma sombra assinalável sobre os desenhadores que lhe seguem. Os artistas seguintes podem ser muito bons, mas é difícil a um leitor esquecer quando uma série tem um desenhador extratosférico (como neste caso). Todos os que lhe seguem vão ser comparados ao primeiro e frequentemente vamos encontrar situações em que nos sentimos um pouco desapontados.

No caso do Conan, a qualidade dos artistas que se seguiram à Becky Clonan não está em causa. São bons e sempre se adequaram às histórias que  Brian Wood tem escrito para esta personagem. Mas é (para mim) impossível esquecer o que a Becky Clonan fez e o estilo que imprimiu a essa série.PHIL NOTO

  • Outro factor relevante na decisão de compra de uma série é o preço de cada revista.

Entre 2.99USD e 3.99USD  a diferença é de apenas 1 dólar, mas quando se seguem vários títulos por mês esse dólar a mais tem um peso diferente. Se juntarmos a isso o facto de a série ser bi-mensal então temos uma situação em que o leitor é obrigado a ficar comprometido com um livro caro e frequente que o impede (literalmente) de comprar outras revistas.

Uma das consequências desta lógica é que muitos leitores vão optar por passar ao lado deste título e consequentemente minar o sucesso futuro desta revista.

Lembro que este “pacote” que nos estão a vender parece bom, mas a Black Widow não é o Homem-Aranha e não tem a legião de fãs do cabeça de teia e por isso, as vendas iniciais poderão ser mais modestas e com a erosão natural das vendas a série da Black Widow pode acabar por chegar a vendas inferiores ao aceitável pela Marvel… e o resto do filme já todos conhecem.

Art of Phil NotoSe dermos uma vista de olhos rápida pelo catálogo da Marvel verificamos que são vários os títulos a 3.99USD  e bi-mensais e estes são dois factores que me levam a afastar-me dos títulos desta editora. Além destes motivos há também algum comportamento algo errático de algumas séries que por vezes se envolvem em crossovers pouco relevantes – posso dar o exemplo da revista Daredevil que esteve no meio de dois crossovers e não ganhou nada com isso.

Isto não é uma bicada à Marvel, até porque a DC está a publicar agora um mega crossover ao longo de 18 revistas com várias mini-séries e tie-ins.

          • Isto é uma crítica, mas ao mesmo tempo também um elogio!

Esta estratégia da Marvel, apesar dos pontos negativos que mencionei, tem a vantagem de proteger as suas personagens e incitar os leitores a voltar a comprar mais revistas desse universo ao permitir que o leitor tenha a sua “dose” de comics preferidos com maior regularidade.

Por outro lado, condiciona a disponibilidade financeira dos leitores para comprarem revistas de outros universos/editoras.

A lógica disto, é inversa ao que estamos habituados, mas faz algum sentido. Afinal de contas, se gostamos muito de algo vamos querer ter mais disso frequentemente e o preço acaba por ser colateral.

É uma medida esperta que beneficia os seus fãs, mas que deixa de fora aqueles que não querem investir tanto num universo tão entrosado como é o desta editora.

DAFT PUNK

                • E tu, vais seguir esta série?

@Nelson Vidal