BD: Crítica – Letter 44 #1 – A surpresa do ano!

letter-44-soules-alburquerque-oni-press-coverLetter 44 #1 é provavelmente o comic mais surpreendente do ano. Não sei se vai ter algum sucesso comercial, ou se vão haver muitos leitores a louvar esta série, mas para mim foi surpreendente a vários níveis e por isso, merece uma crítica muito positiva. 

Começo por notar, que não existem muito motivos que levem um leitor de Comics a pegar nesta revista: é de uma editora pequena (BOOM), tem um escritor pouco conhecido (Charles Soule) e a arte não é muito apelativa (pelo menos enquanto não se entranha). Mas, apesar de todas estas minudencias a revista consegue surpreender-nos com um conjunto de detalhes que levam o leitor a ter de pensar no que acabou de ler e convenhamos que isso nem sempre acontece com todas as revistas que lemos.

letter-44-soules-alburquerque-oni-press-03-628x956

 Esta Letter 44 é ficção-científica e nota-se o esforço de investigação Charles Soule e todos os aspectos desta revista tem um elevado nível de verossimilhança, o que faz com que o leitor aceite facilmente a realidade que lhe está a ser apresentada.

Se eu olhar para a minha Pull list não tenho  nenhuma revista deste género e também não me recordo de muito outros títulos deste tipo. Isso é algo que torna este novo lançamento ainda mais precioso  e “refrescante”.

letter44-pg-008A premissa é relativamente simples: O novo presidente dos EUA (Stephen Blades) entra em funções e recebe uma carta do seu predecessor a explicar o motivo para ter entrado em tantas guerras e ter investido tanto no exército ( nota-se aqui um certo paralelismo com a vida real – Bush/Obama) – a carta explica que há 7 anos foi encontrada uma nave espacial a ser construída  numa cinta de asteroides entre Marte e Júpiter- e que cedo ou tarde estes extra-terrestres vão atacar o nosso planeta e por isso, é necessário estarmos preparados.

O que eu acabei de escrever não é certamente o mais excitante desta revista.

O mais excitante são os pequenos detalhes que Charles Soule vai adicionando, a quantidade e qualidade de conhecimento científico que é necessário para abordar este tema e a potencialidade que existe no cenário montado por Soule.

A história vai-se desenrolando e percebemos que existe uma missão espacial composta por militares e cientistas que se encontra a caminho do local onde se está a construir esta nave extra-terrestre. Anteriormente já tinham sido enviadas sondas não tripuladas que deixaram de emitir sinal quando se aproximaram do local de destino.

Também ficamos a saber que uma das tripulantes está grávida.

letter-44-soules-alburquerque-oni-press-01-628x970

Para a generalidade dos leitores este pode ser um aspecto pouco relevante, mas para um leitor mais atento há aqui muito para se ler, porque tanto quanto sei a concepção no espaço é difícil e o próprio bebé irá nascer com problemas de saúde (se é que vai nascer com vida) logo é com alguma expectativa que aguardo para saber como Charles Soule vai lidar com este ponto da sua história.

Temos aqui alguns elementos convergentes que passo a nomear:

  • Um novo presidente que descobre a existência de uma nave extra-terrestre.

  • A possibilidade dessa nave ser hostil, uma vez que destruiu todas as sondas que foram enviadas na sua direcção.

  • Uma nave espacial tripulada que é enviada para recolher mais informações, mas que corre o risco de sofrer o mesmo destino das sondas não tripuladas

  • Uma astronauta grávida (que esconde a gravidez da equipa que está na Terra)

Dito isto, é óbvio que esta não é uma série que vai agradar a todos, mas como primeira revista promete uma história de ficção-científica realista e bem planeada.download (1)

Escrito por: Charles Soule

Arte: Alberto Jimenez Albuquerque

Cores: Guy Major

Editora:  Oni Press

Nota: 9 em 10

@Nelson Vidal