BD: Crítica – Fables #125

fables125 coverFables celebra este ano o seu 10º aniversário, sendo uma das séries mais longas a ser publicadas pela Vertigo, chancela da DC Comics que já nos trouxe Sandman, 100 Bulets e Preacher. Na realidade foram poucas as serias que ultrapassaram o número 60. Por isso o facto de esta revista estar no numero 125 é representativo da qualidade e consitencia desta serie de Bill Willingham, Mark Buckingham e Steve Leialoha.[fbsahare]

Esta revista mensal tem um conjunto de personagens eternizadas através de contos populares, como a Branca de Neve, o Príncipe Encantado, o Lobo Mau, o Capuchinho Vermelho e muitos outros. Willingham inova ao pegar nestas personagens e ao coloca-las fora dos contos de fadas e num mundo mais real e próximo do leitor.

Este novo contexto leva a que a personagens sejam retratadas de forma mais humana e menos idílica. Podemos ver o Pinóquio muito frustrado por não crescer, e por isso não ser levado a sério por nenhuma mulher, ou a Branca de Neve separada do Príncipe Encantado e com 7 filhos do Lobo Mau (todos gémeos e um deles é invisível).

fables 125 Todas estas personagens vivem numa comunidade que vive em Nova York num local fictício chamado Fable Town.
Ou melhor, durante mais de 60 revistas, quase todos as personagens viveram neste local, entretanto foram obrigados a mudar e agora estão espalhadas por vários locais.

A premissa desta revista não é muito diferente do que se pode ver na serie televisiva Once Upon a Time, e muitos fãs de Fables consideram que os autores da série televisiva usaram a ideia de Bill Willingham. Algo que é desmentido pelo autor de Fables (o facto é que Willingham não tem os direitos televisivos desta revista porque os vendeu à DC/Warner, e na série televisiva Once Upon a Time – Era uma Vez as personagens não tem memoria de que são personagens de contos de fadas)

Numa série com tantas revistas e com tantos arcos de historia há, necessariamente, muita história para contar e para quem não acompanha de início é difícil saber por onde começar.

fables 125 A minha sugestão é que se comece a ler desde o início. É muito? Eu sei! Mas esta série tem uma consistência invejável e não me recordo de um único número que não tenha correspondido às expectativas. Como incentivo, posso dizer-vos que tem 2 clímaxes.  O primeiro por volta do número 70, em que termina o primeiro grande mistério e outro no número 100. São 2 momentos extraordinários com 2 vilões diferentes.

Desde o número 100 que a série seguiu uma direcção diferente, com um conjunto de arcos de historia contidos em si, sendo por isso fácil ler de forma separada… suponho que se ninguém quiser ler 17 TPB´s, pode começar com o número 125 que tem como personagem principal a BRANCA DE NEVE.

Confesso que os últimos arcos de historia me deixaram algo insatisfeito. Bill Willingham optou por escrever histórias com novas personagens (os filhos da banca de Neve), e por isso deixou de parte as personagens que tinham estado no centro das historias anteriores (e que no fundo me levaram a gostar tanto desta série)

fables 125 No entanto o número 125 é excitante!!! 🙂
Esta revista marca o regresso das melhores personagens deste titulo e dá o pontapé de saída para mais um arco com 5 números, mas não só! Anteriormente foram sendo deixadas algumas pistas sobre a direcção que a série poderia tomar, e neste número Willingham passa algumas páginas a reenquadrar (ou relembrar) temas e personagens anteriores e a dar-lhes espaço para criar curiosidade no leitor.
Depois de quase um ano, em que parecia que a série não tinha um rumo, este número é um regresso, mais do que desejado, ao que realmente tem sido o coração da série por mais de 100 revistas. Vemos-nos perante novos mistérios e novas possibilidades! Como disse antes, este é um óptimo momento para se começar a ler esta serie.

Escrito por: Bill Willingham
Desenhos de: Mark Buckingham
Preço: $2.99 US

Nota: 8 em 10

Nelson Vidal

Pub: Assina este e outros comics pela loja O LOBO MAU
previews O Lobo Mau