Jogos: in(die)Ground: No início…

Superbrothers: Sword & SworceryOra parece que nesta coisa que supostamente é uma crónica vou falar de videojogos. Trazer notícias deste tão vasto mundo, curiosidades, acontecimentos importantes, críticas, competições mas, na maior parte do tempo, vou-me focar apenas em críticas.

Como o título reflecte estas críticas serão na sua maior parte de jogos ‘’indie’’. O que são estes jogos perguntam vocês?
Jogos indie, que hoje em dia são cada vez mais comuns e abundantes, são jogos desenvolvidos por indivíduos singulares ou pequenas equipas sem financiamento de distribuidoras ou grandes empresas. Têm Killer 7portanto outro tipo de tratamento, e os seus objectivos e distribuição são diferentes. Normalmente focam-se em novos aspectos, inovação na story-telling, inovação em termos artísticos, mecânicas nunca vistas, etc.

O que me atrai nestes jogos? Porque raio é que com tão bom jogo a sair por aí, eu perco tempo com estas pequenas pérolas? Porque o mercado está saturado com ‘’fórmulas vencedoras’’. Os jogos que vão saindo vão sendo cópias chapadas de algo que já foi feito. Seguem o modelo de gráficos lindos, armas e mais armas (se as tiverem), e uma história Icocheia de poder cinematográfico… Parece muito bom e alias, até é bastante bom, mas quando se come sempre do mesmo enjoa-se…
Mas não é que todos os jogos indie sejam pérolas. Que todos sejam fenomenais e obrigatórios de jogar, ou que não existam jogos feitos por grandes empresas que não inovem…
Dou exemplos de jogos ‘’normais’’ : El Shaddai, Killer 7, Ico, Katamari, Fahrenheit…
Jogos indie: Limbo, Machinarium, Braid, Amnesia, Sword & Sorcery…

El Shaddai: Ascension Of The MetatronA parte artística do jogo acaba por ser mesmo o que mais me desperta interesse. Algo surrealista, ou coberto de cores, algo minimalista, cenas psicadélicas ou um foco muito especial na música.
A jogabilidade importa, e até acaba por ter um foco bastante relevante, mas quando o que a ilustra é pobre, parece-me um desperdicio.

E já que se fala em indie, e até estámos a chegar ao Natal, aconselho toda a gente a dar uma vista de olhos nos bundles que por aí andam há uns tempinhos. Com o crescer desta cultura gaming, alguém muito inteligente e extremamente caridoso, criou o Humble Indie Bundle. Consiste em que? Num bundle de jogos, onde cada um dá o que quiser, e este dinheiro posteriormente pode ser distribuido por uma instituição de caridade, os developers dos jogos ou os donos

braid screen

do site, como a pessoa quiser. Ao longo do tempo foram havendo variantes a esta fórmula como por exemplo, ‘’dás o que queres e recebes estes 5 jogos, dás mais de 5€ e recebes outros 5!’’, e coisas mais. O que importa mesmo é que SÃO JOGOS! MONTE DELES! BARATOS! E COM DINHEIRO A REVERTER PA CARIDADE! Vale a pena mencionar que muitos destes jogos são adicionaveis à Steam (uma plataforma que em grande parte apoia o desenvolvimento de jogos por parte da comunidade e ajuda na sua distribuição digital), e muitos deles com achievements.
Deixo-vos então aqui os três bundles que conheço, e se entretanto descobrirem mais, avisem-me por favor:
http://www.humblebundle.com/
http://www.indiegala.com/
http://www.indieroyale.com/

machinarium predhernouNem todos os jogos que aparecem neste bundle são indie, mas são jogos! E o importante é também saber que podemos aliar o prazer de jogar, comprar jogos por um bom preço, e ainda estar a ajudar alguém sejam eles os developers ou instituições (no caso do humble bundle, e do indie gala) É importante perceber-se que os developers de muitos destes jogos são pessoas cheias de talento que só precisam dum empurrãozinho para continuarem a fazer aquilo que gostam e fazem bem e nós, que os ajudamos, aqui estamos para jogar o resultado.

E por hoje ficamos por aqui pessoal,
Bom jogo 😉

Hugo Santos