Crítica: Seis Aventuras do Tintin

Desta vez trago as minhas curtas opiniões sobre alguns livros do Tintin, que li nos últimos meses. Desde já, peço desculpa por algum dado que possa estar menos correcto ou por algum detalhe que me possa ter escapado, mas alguns dos volumes aqui referidos já li há algum tempo, e não os tenho aqui comigo para os poder consultar.

Estes meus pareceres são baseados nas edições recentes da ASA e pela ordem que os li.
A verdade é que voltei a pegar nos livros por acaso e confesso que até queria ser do contra e não gostar deles. Na altura andava a tentar ler clássicos da Marvel e DC dos anos 60, mas estes têm uma linguagem tão ultrapassada que mesmo as boas ideias de argumento, são abafadas pelos diálogos massudos e ultra-descritivos que estas histórias têm. E num certo ponto estava a pensar que o mesmo se ia passar com Tintin, que já não lia há muitos, muitos anos. Quando era criança adorava, mas era para mim uma incógnita que sensações a leitura me ia trazer hoje em dia. Pensei que ia ficar desiludido como fiquei com Blake e Mortimer, outros dos meus heróis de juventude, mas que não consegui acabar de ler a saga toda de O Segredo do Espadão, quando os livros foram reeditados numa colecção em conjunto com o jornal Público, exactamente pelo mesmo defeito que referi acima.

Tintin No pais do ouro negro

Então, peguei no Tintin no País do Ouro Negro (vol. 15) e a ideia era ler só algumas páginas, por nostalgia. Mas a verdade é que não consegui parar de o ler. Esses diálogos massudos e aborrecidos não acontecem em Tintin. Na verdade, este álbum é até um dos meus favoritos dos que vou referir aqui. É uma grande aventura do Tintin, no Médio Oriente e tem ainda, provavelmente um dos melhores momentos de sempre dos irmãos Dupondt, aquando se perdem no deserto. Hilariante.
Para informações técnicas e sinopse, por favor visita esta página:
http://www.centralcomics.com/2011/02/21/tintim-x-3/

Tintin - As Joias da Castafiore - CapaSem ligar à numeração, avancei para o 21º volume. As Jóias de Castafiore. Esta é a história mais caseira de Tintin. Toda a história passa-se na mansão do Capitão Haddock e nos seus arredores. Castafiore visita o Capitão que está confinado a uma cadeira de rodas e acompanhado por um papagaio irritante. A trama acaba por ser um pouco claustrofóbica, principalmente porque estamos habituados a ver as nossas personagens a viajar pelo mundo inteiro (e até fora dele) e aqui estão presos a um raio de acção muito pequeno. O ponto alto da história é tentar perceber se jóias da cantora lírica serão ou não roubadas. A piada do degrau estragado abusa no número de vezes que é usado.
Para informações técnicas e sinopse, por favor visita esta página:
http://www.centralcomics.com/2011/10/05/lancamento-mais-3-livros-de-tintin/

Tintin rumo a luaDepois resolvi recuar 5 números até ao Rumo à Lua. Grande fã de ficção-cientifica, pensei que este (e o seguinte) ia ser um dos meus álbuns favoritos. Mas infelizmente enganei-me. Antes de mais, este tomo nem devia ter no topo “As Aventuras de Tintin” mas sim “As Aventuras de Haddock”, pois o jovem repórter é tratado como uma personagem secundário. Haddock é o rei da festa e mesmo o Professor Girassol e os irmãos polícia, têm muito mais tempo de antena e falas que Tintin. Além disso, tem um argumento algo aborrecido. Dos que li até agora, este é para mim o álbum menos conseguido desta maravilhosa série criada por Hergé.
Para informações técnicas e sinopse, por favor visita esta página:
http://www.centralcomics.com/2011/05/17/3-aventuras-de-tintin/

 _

Tintin explorando a luaNaturalmente, o álbum que se seguiu foi o Explorando a Lua, e que contraste em relação ao antecessor. Aqui, Tintin volta a segurar as rédeas da narrativa e volta ao seu papel de protagonista para uma grande aventura no espaço. Apesar de ter alguns aspectos técnicos, que, com o que sabemos hoje em dia, acabam por ser ridículos, isto não interfere com o prazer da sua leitura. Depois do balde de água fria que levei com o “Explorando a Lua”, e apesar de não colocar este no top 5 da colecção, soube bem voltar a ler uma boa aventura.
Para informações técnicas e sinopse, por favor visita esta página:
http://www.centralcomics.com/2011/05/17/3-aventuras-de-tintin/

Voltei à Terra com Tintin no Tibete. Uma história que me fez arrepiar de frio apesar de o ter lido no pico do verão, numa viagem de comboio na linha do Douro. Embora melhor que os dois últimos álbuns que referi, este não deverá ser também um representante do Top 5. Tem, no entanto, a particularidade de falar de um tema fantasioso como o Abominável Homem das Neves, e deixar-nos em s

uspense até perto do fim, sobre a sua existência ou não.

Para informações técnicas e sinopse, por favor visita esta página:
http://www.centralcomics.com/2011/10/05/lancamento-mais-3-livros-de-tintin/

E termino tão bem, como comecei. A Estrela Misteriosa é mais um épico da colecção. Tem o sei “quê” de ficção-cientifica, exploração marítima, aventura nos céus com hidroaviões… ou seja tem de tudo um pouco. Muito divertido e empolgante até ao fim.
Para informações técnicas e sinopse, por favor visita esta página:
http://www.centralcomics.com/2010/11/23/tintim-x6/

Hugo Jesus

Relacionados