Abertura da votação ao X Troféus Central Comics

Por André CaetantoBem-vindos, por fim, ao X Troféus Central Comics! Este é o 10º evento que o portal organiza, no qual queremos, com a ajuda dos leitores e participação também dos profissionais do sector, premiar as mais conseguidas obras do ano transacto e seus autores. Como sempre, os votos são efectuados on-line e privados.

Lamentamos, desde já, a demora no arranque da fase de votação, mas devido à recepção crítica e sugestões da parte de vários agentes do círculo da banda desenhada nacional, referentes principalmente à edição deste ano – demonstrando assim a força, popularidade e importância que este evento tem assumido – o júri decidiu adiar o início da votação dos X Troféus Central Comics (TCC), de maneira a debater com alguns dos parceiros do evento as adaptações que se adoptaram este ano. É sempre incómodo encetar alterações a meio curso, mas acreditamos que as mudanças assumidas são pelo melhor e reflectem bem o actual mercado, vindo assim completar a renovação mais completa dos prémios, realizada no ano passado.

De resto, como é sabido e repetidamente frisado pela organização, pretendemos continuamente tornar o TCC num evento tão conseguido quanto possível, justo e transversal nos seus regulamentos face ao panorama actual da área, para assim o adequar melhor à nossa realidade nacional. Tanto, que este é aliás um dos critérios do nosso Regulamento, agora também revisto e com mudanças:

Foram alterados os critérios da categoria Melhor Publicação Independente (TCCI); esta terá porventura um nome menos ideal para a actual conjuntura da banda desenhada, nacional e internacional, mas foi criada para dar mais destaque e mérito às publicações de menor distribuição e visibilidade perante o grande público, que por motivos de contexto e projecção não podem ou devem competir com obras de editoras profissionais. Por isso achamos que esta é uma categoria necessária e que faz todo o sentido no nosso micro-mercado.
Tínhamos como principal diferenciação face à categoria Melhor Publicação Nacional (TCCN) as tiragens. No entanto, uma vez que nem sempre temos acesso a essa informação por parte dos editores, começaremos a guiarmo-nos pela sua distribuição. Assim sendo, mantivemos o nome e renovámos a categoria, e as publicações com uma distribuição mais reduzida ou até sem distribuição – os chamados PoD (Print on Demand) – encontrarão aqui o seu espaço. Alargá-mo-la ainda para agregar também fanzines e prozines de maior projecção, que anteriormente se viram privados de uma categoria própria, pelas razões então explicadas.
E por último, quanto ao nome do prémio – para quem levantou este tópico –, ressalvamos que quaisquer das outras opções ponderadas não tinham a aplicação usual e conexão que “Independente” mantém com o sector da BD ou, pior, forçaria a uma designação extensa e complicada, e portanto pouco evocativa e de compreensão imediata, como é nosso objectivo – daí mantermos Independente. Para mais informações por favor consultem os nossos regulamentos (em baixo).

Assim, em caso excepcional, devido às recentes alterações que vieram já tarde e para não se descartar qualquer um dos nomeados previamente anunciados, este ano teremos não 6 mas sim 10 nomeados no TCCN, pois com o ajuste feitos, 4 das publicações que estavam em TCCI permutaram de categoria. Eis a lista final final:

Melhor Publicação Nacional (TCCN)

A Arte de Under Siege (Edições Asa)
A Ermida (Polvo)
As Extraordinárias Aventuras de Dog Mendonça e Pizza Boy vol.2 – O Apocalipse (Tinta da China)
É de Noite que faço as Perguntas (Saída de Emergência)
Futuro Primitivo (Associação Chili com Carne)
Li Moonface (Pedranocharco)
O Pequeno Deus Cego (Kingpin Books)
Pontas Soltas – Cidades (Edições Asa)
Pop Rock: Trabalhadores do Comércio (Tugaland)
Zona Monstra (Associação Tentáculo)

…E o TCCI ficou assim ordenado com os novos 4 nomeados, em linha com os novos critérios da categoria:

Melhor Publicação Independente (TCCI)

BDLP #1 (Colectivo Extratus)
Cidade Suja (El Pep Edições)
Lodaçal Comix (Ruru Comix)

Mr. Klunk e Sr. Klaxon (Livros Expontâneos)
Mores et al (Topedro)
Venham +5 vol.8 (Bedeteca de Beja)

Como já explicado em cima, a dificuldade de obtermos informações correctas e, principalmente, atempadas sobre as tiragens impossibilita-nos de podermos fazer um julgamento justo e em tempo útil, nas nomeações das obras. Por isso, retirámos essa forma de critério de todas as categorias a concurso.

E ainda, a partir deste evento e para que não seja levianamente levantadas suspeitas quanto à idoneidade e profissionalismo dos jurados, acrescentámos a regra de que os membros da organização e do júri não poderão ter obras suas candidatas aos Troféus caso a publicação em questão seja totalmente de sua autoria ou que o próprio seja elegível em nome individual (nas categorias de Arte e Argumento). Caso a obra seja produzida em parceria com outros autores, esta será passível de nomeação, mas o jurado em causa continuará a não poder pronunciar-se ou votar nessa(s) categoria(s), como sempre acontece.

Por conseguinte, apesar do catálogo “Tinta nos Nervos”, coordenado por Pedro Vieira Moura - nosso colega jurado -, continuar candidato ao prémio Melhor Publicação Técnica (TCCT), por este contar com participação de diversos outros críticos e jornalistas portugueses, foi retirada a minha nomeação referente ao livro “Trabalhadores do Comércio” na categoria Melhor Argumento (TCCArg), automaticamente substituída pelo runner-up, o escritor Filipe Pina, do álbum “A Arte de Under Siege.”

Queremos ainda frisar que ponderámos igualmente em alterar o nome das categorias Melhor Publicação Técnica e Melhor Arte, como foi recomendado. Porém, após larga deliberação, discordamos das (poucas) sugestões que nos chegaram e continuamos a acreditar que as melhores nomenclaturas são as actuais. No primeiro caso, o nome “Técnica” poderá, hipoteticamente, fazer confusão de início, mas bastará ler os nossos regulamentos para logo dissipar qualquer dúvida que se possa suscitar: “Obra sobre arte sequencial, prancha ou tiras humorísticas e caricatura, tais como publicação informativa, ensaio, dicionário/enciclopédia, catálogo, monografia, livro de arte ou esboços, e tutorial, (…)”.
No segundo caso, poderíamos optar por “Melhor Desenho”, como de facto nos sugeriram, mas não só por acharmos esse um termo redutor – que faria maior sentido numa indústria como a americana, onde existe geralmente a separação de desenho (lápis), arte-final, cores, e não em Portugal, onde é mais  é comum o mesmo artista reunir várias tarefas ou até todas – como também a contra-parte mais correcta deste termo não seria Argumento, mas sim Texto, a qual igualmente não é adequada… Por isso, optámos por um termo abrangente q.b. para todas as expressões (até por não partilharmos cismas ou desagrados face aos termos Arte e Artista, que achamos ter tradição e dever ser respeitados como tal, que mais não seja para os resgatar de conotações menos felizes…)

Embora seja uma regra implementada há anos, convirá repetir junto a autores e editores que não são aceites solicitações para que os designados autores ou obras não constem na votação. Uma vez nomeado, é reconhecido ao(s) candidato(s) essa declaração de interesse, assim como o direito de recusar o prémio, caso o ganhe.

Assim sendo abrimos a partir de agora a votação pública ao X Troféus Central Comics!

VOTE AQUI!

A votação está aberta até 25 de Agosto .
Podem, a partir de agora intervir nos prémios da banda desenhada e cartoon onde os vencedores são decididos pelo grande público e, ao participar, habilitam-se a uma mini-bedeteca oferecida pela organização e pelos parceiros do evento, sorteada entre os votantes na cerimónia de entrega dos troféus.

Para isso, devem observar as seguintes REGRAS PARA VOTAR:
1) No Boletim de Voto, escolher só um (1) candidato por categoria;
2) Votar no mínimo em cinco (5) categorias das nove (9) existentes;
3) Votar só uma (1) vez no X TCC, sendo a sua participação anulada doutra forma;
4) Preencher os campos de identificação obrigatórios para validar a participação*.

*Informamos que estes dados pessoais não serão utilizados pela organização nem cedidos a terceiros; os votos são secretos, somente importando a identificação do votante para assegurar o normal e isento processo de votação, assim como para efeitos do sorteio e entrega da mini-bedeteca de oferta.

VOTE AQUI!

Ressalvamos que, de acordo com a alínea 1.13 dos estatutos do TCC, se observada tentativa de fraude no evento, o responsável pelo logro terá a sua participação anulada e será também banido de participar no próximo ano – da decisão do júri não há retorno.

Acedam ao BOLETIM DE VOTO e participem – Não é necessário qualquer registo nem esperas, a votação é imediata.

Texto: Hugo Jesus
Arte: André Caetano 

Regulamentos (Clica para ampliar)
regulamentos X Troféus Central Comics 

Relacionados